Pesquisar

Categorias

Arquivos

Favoritos

Criatividade & Meditação

CRIATIVIDADE E MEDITAÇÃO

.

.Pedro Tornaghi

.

.

.

.

.

Meditação e Criatividade levam ao mesmo destino: tornam o homem livre do medo.

Na Índia ouvi muitas vezes dizer que, dentre os ocidentais, os artistas foram os que mais se aproximaram da experiência meditativa. O exercício da criatividade e da sensibilidade foram os responsáveis por essa proximidade. Talvez, para nós nascidos à oeste da Arábia, a arte seja o caminho mais natural para os reinos da sutileza além de, certamente, ser um dos mais libertadores.

A experiência meditativa e o momento de inspiração e criação do artista estão extremamente próximos, porém, há diferenças. Essenciais. Muitos dos mais influentes artistas tiveram o ápice de sua criatividade aliado à evolução de sua loucura e de suas alucinações. Já a meditação, ao contrário, tem ajudado a muitos a saírem do estado de demência e não costuma levar a ele. As duas exploram o mesmo território, mas na meditação você costuma voltar inteiro da viagem.

O poeta pode criar poesias extraordinárias sem necessariamente se transformar como pessoa e sem abrir mão de seus velhos condicionamentos ou de hábitos mesquinhos. O pintor pode pintar obras-primas enquanto cultiva sua loucura. O meditante experimenta o jorro da criatividade aliada à lucidez e à clareza de percepção.

Enquanto a arte muitas vezes abre as portas do inconsciente sem fornecer o fio de Ariadne, fazendo com que artistas como Borges, Artaud, Nijinsky e Van Gogh, entre outros, se percam nos infindáveis labirintos da subjetividade, a meditação organiza psique da pessoa, revelando a ela uma bússola interna, um sentido de orientação, um sentimento de seu propósito original, que a permite mergulhar no oceano do universo interior sem se tornar escrava de conteúdos não estruturados do inconsciente. Ela mergulha no inconsciente para se libertar; nunca para se escravizar.

Um artista que experimente as meditações da criatividade, não só estará mais próximo da fonte criativa e com mais recursos para sua obra artística, como exercerá o ato criador com sanidade

A criatividade e a percepção artística se manifestam no hemisfério direito de nossos cérebros, enquanto a linguagem verbal é regida pelo esquerdo. Como vivemos numa sociedade onde a mente e a linguagem verbal são sobre-valorizadas, o lado esquerdo de nossos cérebros costuma ser dominante em detrimento do direito, que não se desenvolve como deveria e não contribui com todo o seu potencial para o nosso melhor viver.

Assim como nossa cabeça, o planeta também tem dois hemisférios: o oriental e o ocidental. O oriental se parece com o hemisfério direito do cérebro, procurando ver as coisas de uma maneira global e holística. O ocidental se identifica com a maneira de ver do lado esquerdo do cérebro, que costuma substituir a experiência direta pelos clichês da linguagem, tentando analisar intelectualmente a experiência. Quando pintamos, dançamos ou desenvolvemos a criatividade por alguma outra forma de expressão artística, ativamos a polaridade direita do cérebro, equilibrando nossa tendência racional com o uso da inteligência intuitiva.

Há pessoas que acham não ter talento artístico, ou que a meditação é uma arte exclusiva de seres superiores. Isso acontece porque elas não tiveram acesso ao seu lado direito do cérebro e não abriram seu portal da criatividade. Todos o temos mais próximos de nós do que imaginamos. As meditações aliadas aos métodos de desenvolvimento do potencial criativo do hemisfério direito do cérebro proporcionam o contato com essas aptidões em tempo surpreendentemente rápido. A prática mostra que o desenvolvimento do hemisfério direito do cérebro pela meditação evidencia que qualquer pessoa normal possui e pode desenvolver seus talentos artísticos. Em proporções inimagináveis anteriormente.

A meditação, num primeiro momento, desloca o centro da percepção e da elaboração da realidade para o lado direito do cérebro, deixando-nos imediatamente mais intuitivos e emotivos. Com a continuação do processo meditativo, integramos os dois hemisférios, e a nossa palavra passa a exprimir nossos sentimentos mais genuínos, deixando de ser uma barreira protetora de nossas emoções.

Os métodos de meditação ligados à arte nos levam perceber o mundo com a visão diferenciada do artista. Aliando arte à meditação, criamos uma situação utópica, onde estimulamos a pessoa a desenvolver seus potenciais adormecidos e ao mesmo tempo aprimorar a percepção, levando-o a enxergar o que há de extraordinário em cada momento da vida.

As meditações ligadas ao teatro ajudam a despirmo-nos de nossos personagens habituais, descobrindo a nossa própria linguagem. As de música proporcionam o encontro da ressonância interior e do silêncio, o pai de todas as criações. As de dança permitem uma sincronia com o pulsar interno. As de pintura revelam imagens internas, proporcionando um entendimento mais profundo das dinâmicas de nossa subjetividade. Todas elas levam ao “ponto zero”, expandindo a sensibilidade e a inspiração de forma progressiva, desenvolvendo a intuição e a originalidade.

As meditações ligadas à arte mostram ainda que a meditação não acontece apenas quando você está sentado numa posição estática. Elas evidenciam que meditar é celebrar a vida sem a interferência da mente e que você pode vivenciar isso em atividades dinâmicas.

Os exercícios de criatividade aliados às técnicas de meditação tornam o caminho mais fácil e estimulante, neles você pode experimentar um estado de vacuidade mental e o contato direto com a inteligência criativa. Nesse momento, um novo tipo de presença se instala em você. As meditações criativas o tornam progressivamente mais lúcido e capaz de lidar com os desafios do dia-a-dia, a criatividade vira sinônimo de consciência e liberdade, tornando-se o ingresso natural para o estado de meditação.

.

.

.

.

Outros artigos que relacionam meditação à criatividade:

http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=29

http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=406

http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=294

.

Outros artigos que relacionam meditação à sensibilidade:

http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=399

http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=375

.

Cursos que relacionam meditação à criatividade:

http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=17

http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=107

http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=99

.

Creativity and Meditation 

.

Meditation and Creativity lead to the same destination: make man free from fear.

In India I have often heard that among Western artists who were closest to the meditative experience. The exercise of creativity and sensitivity were responsible for this closeness. Perhaps, for us born in the west of Arabia, the art is the most natural way to the realms beyond the subtlety certainly be one of the liberators.

The meditative experience and the moment of inspiration and creation of the artist are extremely close, but there are differences. Essential. Many of the most influential artists were the culmination of creativity combined with the progress of his madness and his hallucinations. As for meditation, by contrast, has helped many to leave the state of dementia and does not usually lead to it. Both explore the same territory, but in meditation you usually come back whole from the trip.

The poet can create extraordinary poems without necessarily becoming as a person and not let go of your past conditioning or petty habits. The painter can paint masterpieces while cultivating his madness. The meditator experiences the rush of creativity combined with lucidity and clarity of perception.

While art often opens the doors of the unconscious without providing the thread of Ariadne, making artists like Borges, Artaud, Nijinsky and Van Gogh, among others, lost in endless mazes of subjectivity, meditation organizes the person’s psyche, revealing it an internal compass, a sense of direction, a sense of its original purpose, that allows the universe into the ocean interior without becoming a slave of unstructured content of the unconscious. He deeps into the unconscious to be free, never to become slaves.

An artist who try the meditations of creativity, not only is closer to the creative source and more resources for their artistic work, such as exercise the creative act with sanity

Creativity and artistic perception manifest themselves in the right hemisphere of our brains, while verbal language is governed by the left. As we live in a society where the mind and verbal language are over-valued, the left side of our brains is usually dominant over the right, which does not develop as it should and does not contribute to their full potential for our better living.

As our head, the planet also has two hemispheres: the East and West. The East looks like the right hemisphere of the brain, trying to see things in a comprehensive and holistic manner. The West is identified with the way we see the left side of the brain, which often replace the direct experience of the clichés of language, trying to analyze the experience intellectually. When we paint, dance or creativity developed by some other form of artistic expression, we activated the polarity right-brain, rational balancing our tendency to use intuitive intelligence.

There are people who think not having artistic talent, or that meditation is an exclusive art of superior beings. That’s because they did not have access to their right brain and not opened its portal creativity. All we have it closer to us than we realize. The meditations allied methods of developing the creative potential of the right hemisphere of the brain provide the contact with these skills in a surprisingly fast time. Practice shows that the development of right brain through meditation shows that any normal person possesses and can develop their artistic talents. In proportions previously unimaginable.

Meditation, at first, shifts the center of perception and the development of reality to the right side of the brain, leaving us more immediately intuitive and emotional. With the continuation of the meditative process, we integrate the two hemispheres, and our word is to express our feelings more genuine, no longer a protective barrier of our emotions.

The methods related to the art of meditation lead us to perceive the world with different vision of the artist. Combining art and meditation, we create a utopian situation, where we encourage people to develop their latent potentials and at the same time improve the perception, leading him to see what is extraordinary in every moment of life.

The meditations connected with the theater, help us in our usual characters, discovering our own language. The music provides the meeting of the inner resonance and silence, the father of all creation. The dance allow a sync with the pulse procedure. The images show internal painting, providing a deeper understanding of the dynamics of our subjectivity. They all lead to the “zero point”, expanding the sensitivity and inspiration in a progressive, developing intuition and originality.

The meditations related to art also show that meditation does not just happen when you’re sitting in a static position. They show that meditation is to celebrate life without the interference of the mind and you can experience it in dynamic activities.

The creativity exercises coupled with meditation techniques make the way easier and stimulating them you can experience a state of mental emptiness and direct contact with the creative intelligence. At that moment, a new kind of presence is established in you. The creative meditations make it progressively more lucid and able to handle the challenges of day-to-day, becomes synonymous with creativity and freedom of conscience, becoming the ticket to the natural state of meditation.

 

Translated by Ana Viviane Minorelli

 

Share

20 Responses to Criatividade & Meditação

  • Sunder:

    Sou psicóloga e compartilho com você o fato de que meditação e artes juntas podem nos tornar mais criativos e inteiros. Achei o seu texto belíssimo. Parabéns pelo trabalho.

  • Sylvia:

    Quando tinha 11 anos, pela primeira vi um desenho, achei bonito e o copie. Ficou tão perfeito que não acreditaram que o tinha feito. Qdo ia dormir, os desenhos apareciam prontos, nítidos que parecia poder copiá-los facilmente. Veio o fascínio pelas cores. Fiz muitos trabalho e fazia a base de troca. Isso me causava um estado de agitação muito grande. Os outros insistiam para que continuassem a desenhar e pintar. Meu irmão pediu que pintasse um desenho em uma porta! Não sentia inspiração, mas qdo ele pos música clássica, tudo ficou fácil. Desenho e pinto ocasionalmente, mas começo a ficar alienada da vida pratica, sinto muita agitação e acabo sempre parando, embora isso me frustre tbém.

  • Sonia Borges:

    Lindo!!!

  • Rô Penna:

    Oi Pedro, essa leitura vem afirmar aquilo q penso acerca da meditação. Excelente texto, eu acho q não só nas Artes porém, em todas as áreas da vida, ela deveria ser praticada por uma expansão da consnciência. Vivemos num contexto onde a vigília contínua pela sobrevivência bloqueia intensamente os potenciais humanos mais sutis e q são essenciais a uma qualidade de vida melhor. Adorei! abç!

  • Fabulosa reflexão sobre criatividade e meditação – é, realmente à partir daí, que expandimos os nossos dons.
    Parabéns!
    Vida longa e feliz!!!!
    Rita

  • Rosangela Guedes:

    Obrigada!♥

  • Pedro,

    concordo com suas palavras… vivo a cada dia esta experiência…estive na Índia numa residência artistica dentro de um Ashram o de Sri Aurobindo…vivi arte e meditaçao…contato imediato com o supra mental…devo expor ano que vem…te mando news…adorei ser sua amiga….
    bjus,
    maria

  • Seu texto é belíssimo! Beijos azuis da Dinamarca.

  • Keno.U:

    A very inspiring article,
    as an artist in Watercolors, and a beekeeper, both are demanding a sensitive aproach, and are ways of meditation..

    all the best..
    Keno

  • Maria Clara Cabral de Melo:

    Acompanharei sempre, ainda vou ler tudo, com muita calma. Obrigada. Repito, NADA ACONTECE POR ACASO…….ABRAÇOS

  • ROSA MARIA:

    Pedro o seu texto é belíssimo e com ensinamento excelente e edificante. Parabéns amigo, muita luz, paz e amor em sua jornada.

  • Williane Nunes Leão:

    Pedro, boa noite com chuva de bênçaos!
    Estudante de arteterapia e consciente do meu dharma, estou estagiando em um presídio da minha cidade, para após 100 horas receber certificado da minha escola.
    Estou ensinando a 15 homens sob regime fechado, práticas de meditação.
    Creio na meditação como instrumento pra construção de estados satisfatórios, de lucidez, de ampliação da consciência. Um baita recurso curativo. A meditação nos protege de falsos entendimentos.
    Sou canhota-ambidestra e a criatividade é presença na minha vida, ela dá suporte para confiarmos em nossos potenciais.
    Paralelo ao curso de arteterapia, comecei a usar “A Arte da Ponte”, com Annie Roteinstain. Nos encontros semanais vivenciais, são trabalhados a arte e a tanatologia. Excepcional!
    Faço retiros com Jean-Yves Leloup e com Lama Padma Samtem.
    Será um enorme prazer tê-lo como fonte de pesquisa e construção de conhecimento e energia continuados.
    Em frente, abraço Na Luz!

  • Pedro Henrique:

    Muito bom o texto, Parabéns

    Serviu como confirmação.

  • Obrigada por suas palavras. Nada é por acaso.

  • drika:

    Pedro parabéns pela postagem,muito interessante.
    Os seus textos sempre nos remetem à interiorização e à conquista de dias melhores!!
    Gratidão
    Drika

  • olga barbosa amorim:

    Bom dia! Há mais de 20 anos fiz um curso rápido de desenvolvimento do lado direito do cérebro, é interessante desenhar pessoas e objetos seguindo o vazio, espaços contidos na forma .Desenhando os espaços vazios surgia o objeto. Legal também desenhar apenas o que se via, esquecendo da nomenclatura oficial, como por exemplo, desenhar as mãos com a percepção dos traços que eu via e não com a idéia que eu sabia que era minha mão.
    A loucura dos artistas tem sido vista como talento sofrido, eu penso que é uma limpeza psíquica;
    até dolorosa, mas que acaba libertando a alma do lixo mental acumulado. Parece que a energia dessas obras são densas, revelando um tormento interno.
    Seu texto serve de companhia, como um reencontro pacífico.

  • Om Shanty irmão Pedro Obrigado, a meditação ajuda muito a entrar em conexão, é uma forma de se conhecer o caminho da Felicidade Paz e Amor no seu proprio intelecto; neste momento vivo em Gambia no Centro de Brahma Kumaris em Bandjul Gambia; muito obrigado, muitas benções do Senhor. Om Shanty.

  • Vânia Bastos:

    Qual o curso que o Pedro Tornaghi Vai dar em 2013 ?

    Oi Vânia,

    Enviei a lista de cursos para você por e-mail. Nos próximos dias faremos uma página no site falando dos cursos no Rio de Janeiro para este ano.

    Um abraço fraterno,

    Pedro

  • Obrigado pelo maravilhoso texto. Concordo plenamente pois sou praticante de yoga desde 1985, e, quatro anos depois disso comecei a associar, experimentar e fundir a dança nessa “bricadeira” séria na minha vida. A dança constrói rapidamente essa consciência meditativa no nosso ser. As consciências física, emocional, psíquica e espiritual entram num processo contínuo de fusão, união, ou seja, YOGA.

  • Maria Celeste Argolo Pinheiro:

    Obrigada Pedro por presente maravilhoso.Um grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>