Pesquisar

Categorias

Arquivos

Favoritos

A Calma Absoluta do Olhar

A Calma Absoluta do Olhar

Pedro Tornaghi

 . 

.

 .

Todo e qualquer pensamento promove algum movimento nos olhos. O movimento pode ser mínimo, imperceptível à sensibilidade, mas está lá. A linha inversa também é verdadeira, todo e qualquer movimento dos olhos, influi na atividade do cérebro e no estado mental.

Essa ligação direta entre pensamento e olhar torna possível influir em nosso pensar, a partir do que escolhemos fazer com nossos olhos. E a oportunidade é imensa, vai muito mais além da chance de acalmar ou excitar a mente ao se induzir os olhos à calma ou excitação, é possível mesmo chegar à cessação dos movimentos da mente, quando somos apresentados à calma absoluta do olhar.

Em outras palavras, os olhos, que todos carregamos sobre o nariz, podem ser uma porta simples e acessível a uma experiência que parece difícil ou até mesmo impossível a muitos: a meditação. Mesmo parecendo impossível, pode estar ao alcance das mãos, se não exatamente diante de nossos narizes, acima deles.

A primeira frase do “Yoga Sutras”, o mais tradicional tratado de yoga, sugere “yoga é a cessação das ondas da mente”, ou seja, yoga é meditação. Mas, como chegar a isso? Muitos tentam, das mais diversas formas, uns poucos – muito poucos – conseguiram; e a maioria se frustrou no caminho, entre tropeços por estradas muitas vezes tortuosas. Como acalmar a mente? “Peço para que ela fique calma mas ela…” “Peço para que ela pare e ela dispara mais ainda.”

Sim, a mente é rebelde. Funciona como os robôs de algumas histórias de ficção científica que, após serem programados por seus inventores, ganham vida própria e se rebelam contra o criador, tentando destruí-lo. Como ter acesso novamente à programação deles? Como encontrar receptividade deles para sua necessidades atuais? Qual o código de acesso?

A chave pode estar escondida debaixo do capacho, na porta da casa. O acesso para a mudança do estado de espírito da mente pode estar nos olhos. Shakespeare popularizou a ideia dos “olhos serem as janelas da alma”. É igualmente real, mesmo que menos poético, afirmar que os olhos são janelas da mente. Sim, por eles entra luz em nossos cérebros, por eles nossas glândulas pineais se alimentam de luminosidade e têm seu funcionamento regulado. Por eles se insinuam estímulos elétricos que vão ditar ritmos de muito do que acontece em nosso cérebro.

O nervo óptico, que conduz o que vemos desde os olhos até os fundos do cérebro, é composto de neurônios, pode-se mesmo dizer que os olhos são uma extensão – visível – de nosso cérebro, que acalmar o nervo óptico, já é acalmar o cérebro. Sim, é muito difícil dizer ao cérebro: “relaxe”. Não conhecemos o acesso. E ele não está nem aí para nossa instrução, ele tem mais o que fazer, ele tem movimentos já acontecendo dentro de si que parecem fazer mais sentido para ele do que a nossa instrução; ele tem “ondas” em andamento por toda a sua extensão. Mas, se não temos acesso ao cérebro, não é difícil induzir os olhos a relaxar. É até fácil. E, quando os olhos relaxam, o cérebro relaxa. Imediatamente. A opção de relaxar ou tensionar internamente pode se tornar algo simples, como escolher colocar uma panela de água para ferver ou para congelar.

A hipnose sabe disso há muito tempo. Quando o hipnotizador pede ao cliente, que acompanhe com os olhos o oscilar do pêndulo da direita para a esquerda e em seguida lhe induz com frases como “seus olhos estão ficando cansados”, “as pálpebras começam a pesar”, “seus olhos estão a cada momento mais relaxados”, ele pretende levá-lo ao contato com zonas sutis da mente, contato esse somente possível quando há um relaxamento profundo dela. E os resultados são incríveis. Pode-se experimentar durante o transe hipnótico, momentos de total liberdade do pensamento e de nossas crenças mais arraigadas. Pode-se ter acesso a lembranças primordiais guardadas dentro de nós.

A hipnose, até onde se sabe, nasceu na Índia. Como filha da meditação. Ela aponta para algumas maneiras possíveis de relacionar olhos com a mente. Mas não obrigatoriamente se utiliza de todas. O olhar pode servir como um caminho de acesso fácil à meditação. E foi usado muitas vezes na historia da Índia, com sucesso.

Basta que paremos totalmente nossos olhos para que a mente “cesse seus movimentos”. Aquietando-os, estamos a um passo da meditação. Parando-os, estamos mesmo a um tropeço dela.

Existe um bom número de meditações que exploram diferentes maneiras de se chegar a essa “calma do olhar”, capazes de levar ao florescer da lucidez e a uma clareza do olhar sem precedentes. São técnicas de meditação, complementares entre si, que induzem a esse aquietar interno, tornando-o acessível mesmo a quem tem pouca ou nenhuma experiência com a meditação. Sendo práticas simples, prazerosas e de ação imediata, elas estimulam a pessoa a mergulhar no processo de autoconsciência. Uma vivência contínua delas, além de trazer a clareza do olhar sobre si e sobre o mundo, proporciona um gratificante relaxamento físico e mental, capaz de tornar os dias agradáveis e imunes ao estresse. É experimentar, e ver com os próprios olhos.

 .

 

Participe da Palestra e curso “Meditações da Visão e da Audição”:

 http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=107

.

Leia também:

Os Sentidos Internos: http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=375

A Arte de Escutar e Enxergar: http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=399 

As Meditações da Visão e da Audição:  http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=31

 .

 

Share

22 Responses to A Calma Absoluta do Olhar

  • Dioclecio Gasparotto:

    Gosto muito de ler suas publicações, acho-as muito relevantes, esta do olhar é muito interessante. Gostaria muito de fazer este curso mas, como sabe, estou em São Paulo.

  • Cecilia Mara Longa Luiz:

    Acho a proposta do curso muito boa. Hoje estamos cada vez mais distante dos 5 sentidos humanos. Com tanta máquina, internet, ipod, tablet… O que menos conseguimos é o contato conosco mesmos. Com o outro nem se fala. Estamos meio robotizados. Nunca fiz yoga, pretendo um dia. No momento estou morando em Sampa, mais para a frente quem sabe? Gostaria de fazer meu mapa astral. Podemos pensar numa proposta?

  • Antonio Borges da Fonseca:

    Pedro, como vai?
    Mais uma vez sinto-me energizado por termos contato e compartilhar estudos e conhecimentos que tanto nos pode fazer bem.
    Essas compreensões sobre o olhar são muito importantes.
    Os olhos captam imagens e, imediatamente, estas ligam-se a pensamentos e criam um outro mundo imaginário que começa a circular dentro da mente; imagine isso acontecendo todos os momentos!
    Compreender o mecanismo de trabalho da mente, em que ela capta através de nossos outros sistemas, sensível e instintivo, ter consciente que ela deve captar e compreender o real, termos consciência que a mente é nossa ferramenta e que ela pode e deve ser usada para a real vivência do ser é maravilhoso; nossos olhos enxergarão como deve ser.

    Um grande abraço,
    muita luz!

  • Bruno Cesar Boisson:

    Excelente artigo, Pedro! Interessante essa questão do “olhar” no que concerne à meditação e à hipnose. Utilizo muito uma vela para meditar, num ambiente escuro, pois o bruxulear de sua chama produz um efeito condutor e relaxante, quase hipnótico…Para esvaziar a mente, sempre foi mais fácil olhar fixamente para algo que, além da chama de uma vela, pode ser também um ponto pequenino como uma bolinha desenhada numa parede branca ou até mesmo olhar para algo mais amplo como a linha do horizonte, quando sento-me na areia de uma praia vazia…Meditar de olhos fechados, para mim, é impossível pois começam a aparecer diversas imagens sem cessar…

  • Belo texto!!!!!!!!
    grata por compartilhar com todos!!!!!!!

  • lucia cooke:

    Muito bom o artigo, obrigado.

  • Luiza Benaion Tabasnik.:

    Parabéns amigo Pedro…Realmente temos que proteger nosso olhar!!! Ele conduz o que olhamos à MENTE… e se dominamos o que olhamos, logo nossos PENSAMENTOS se tornam NOSSOS SÚDITOS, seremos REIS E RAINHAS de nossa Mente…Tudo o que vemos é exterior. Se vigiarmos nossos olhos e todos os sentidos do corpo, eles estarão internamente protegidos por nossos pensamentos! Nosso EXTERIOR NÃO DEVE TER DOMÍNIO SOBRE NOSSO INTERIOR! Assim podemos tentar alcançar o Equilíbrio entre Coração e Espirito!! Beijos doces. Escolheu maravilhosamente O TEMA: A CALMA ABSOLUTA DOS OLHOS, existe uma infinidade de motivos para explorar a JANELA DA ALMA – que chamo de “O OLHAR”. PROTEGER O OLHAR… Beijos doces amigo Pedro Tornaghi, qualquer dia vou te visitar.

  • Felix José Campos S. Carvalho:

    Pedro,

    Resido em Fortaleza e fica difícil para mim fazer este Curso. Tem possibilidades desse evento acontecer, futuramente, em Fortaleza?

    Olá Felix,

    Em surgindo a oportunidade será um prazer realizar o curso em Fortaleza. Procure no Facebook pelo Guilherme Ashara, ele provavelmente poderá ajudar a você a encontrar bons caminhos de autoconhecimento por aí: https://www.facebook.com/guilherme.ashara?fref=ts

    Um abraço fraterno,

    Pedro

  • Graça Ferraz:

    Sr. Pedro!
    Sempre tive vontade fazer esses cursos, principalmente hipnose, moro no interior de MG nunca tenho essas oportunidades, sucesso, muito proveitoso esse trabalho. Parabéns!
    Abraços,

    Graça Ferraz

  • Graça Ferraz:

    Pedro Tornaghi,

    São cursos valiosos, teria imenso prazer em participar e, aprender, moro no interior de MG, falta-me oportunidades, compreender e estudar de sí são artigos preciosos, lindo trabalho. Parabéns, sucesso sempre!

    Graça Ferraz!

    Obrigado pelas palavras generosas sobre os cursos Graça, colocarei seu e-mail na lista de avisos para cursos em cidades de Minas Gerais para caso em alguma hora seja algum lugar próximo e viável a você.

    Um abraço fraterno,

    Pedro

  • Heloisa D. B. de Mello:

    São tão maravilhosos os dons dos sentidos, mas o que me percebo mais agradecendo é o de ver e olhar. O que vejo pode me induzir pensamentos de serenidade e sabedoria, como de angústia e questionamentos. Enfim, mais um texto seu, que lendovendo, me fez bem !
    Luz & Paz!

  • Rosangela Soto:

    Sempre me surpreendo com suas propostas. Este curso anestesia as sensações. Infelizmente estou em São Paulo, o que ainda me deixa distante de fazê-lo. Tenho lido tanto e feito descobertas maravilhosas, mesmo sozinha. Nossa máquina é maravilhosa quando a observamos e deixamos fluir. OLHOS, sempre me pergunto sobre o que devo olhar, até mesmo desperta, e opto por tranquilidades, natureza e evito as violências. Apesar de fazer parte desse mundo, muitas vezes me pergunto se realmente faço parte dele como ele é. Creio que não, porque meu olhar é interior e muita coisa me soa nervosa e doentia nos outros. Todos se deixam levar pelas piores sensações como se isso fosse o normal, quando o normal seria deixar suas raízes e o interior falarem mais alto de modo a não adoecer e ver luz e paz. Os olhos são a porta de entrada, então porque não deixar, na maior parte do tempo, que entrem boas sensações? Espero que o brilho da alma fale mais alto com o passar do tempo, daí teremos seres mais saudáveis e úteis. Bom curso aos que poderão fazê-lo!!!

    Olá Rosangela

    Obrigado por compartilhar suas impressões e inspirações, avisaremos a você por e-mail quando houver curso em São Paulo.

    Um abraço fraterno

  • EDNA MAIAL BARCELLOS:

    PEDRO TORNAGHI, EU NÃO TENHO SITE. ESTOU TE DANDO O MEU E-MAIL, POIS FICARIA MUITÍSSIMO FELIZ EM RECEBER SEUS TEXTOS, QUE SÃO INTELIGENTES DEMAIS. PARABÉNS PELO “A CALMA ABSOLUTA DO OLHAR”. POIS ESTUDO A FÍSICA QUÂNTICA E FILOSOFIA , QUE SÃO DIRECIONADAS P/ ESSE ASSUNTO E, MUITO ME AGRADOU A TUA EXPLICITAÇÃO. GRATA, ABRAÇOS DA EDNA.

    Olá Edna,

    Grato pela sintonia com o trabalho e a afabilidade, infelizmente o tempo tem andado curto por aqui não tenho como prometer o envio diário das atualizações do site por e-mail, mas você pode vê-las diariamente em minha página do Facebook, todas as atualizações são postadas lá: https://www.facebook.com/pages/Pedro-Tornaghi/158638770921122

    Um abraço fraterno,

    Pedro

  • EDNA MAIAL BARCELLOS:

    GOSTARIA DE LER SOBRE OSHO – O NOVO -” AMAR SE TORNARÁ SUA NATUREZA”, ALIÁS , AMEI TUDO SOBRE OSHO! GRATA EDNA MAIAL BARCELLOS

  • EDNA MAIAL BARCELLOS:

    REALIZOU-ME OS SEUS TEXTOS E QUERIA PARTICIPAR DE UM CURSO TAMBÉM. ABRAÇOS DA EDNA MAIAL BARCELLOS

    Olá Edna

    Amanhã começaremos o curso “Meditações da Visão e da Audição, ligado ao artigo, sei que está um pouco em cima da hora, mas como você pergunta por cursos, publico aqui o link com o programa: http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=107

    Abraço fraterno,

    Pedro

  • CLAUDIO MELO:

    Sou muito grato por mais essa excelente explanação sobre os olhos e a meditação. Vou me lembrar de utilizar essas informações quando tiver que ensinar alguém a meditar. Shalom, namastê!

  • sonia regina thiago bastos:

    Interessante o texto, Pedro! Lembra-nos que também precisamos vigiar “o olhar”. Informação oportuna. Obrigada!
    Abraço,
    Sonia.

  • WALDEMAR MARICATO:

    A CADA NOVO DIA O SER HUMANO NECESSITA AMPLIAR SEUS CONHECIMENTOS, SEJA NESTE
    OU NAQUELE ASSUNTO. PORTANTO, A PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS QUE SIRVAM PARA O DESENVOLVIMENTO DO INTELECTO HUMANO É SEMPRE BEM VINDOS. UM GRANDE ABRAÇO FRATERNAL !

    20-07-2015 – DIA DO AMIGO !

  • Nara Viegas:

    Sou psicóloga e em meus atendimentos procuro olhar nos olhos do cliente. SENTINDO SUAS REAÇÕES AO falar.

  • Excelente trabalho sobre o olhar…

  • Parabéns pelo excelente texto sobre o olhar e a meditação. Não consigo meditar de olhos parcialmente abertos, como algumas pessoas dizem ser a maneira “correta” de se meditar. Eu realmente sou do tipo de pessoa que mostra tudo pelo olhar, é o que todos dizem. Por isso mesmo, sinto necessidade de fechar os olhos para desconectar do mundo e poder aquietar minha mente.

    Olá Andra,
    Há inúmeras técnicas de olhos abertos e inúmeras de olhos fechados, você pode começar pelas que forem mais agradáveis a você e mais adiante, se achar que possa ser proveitoso, você pode experimentar as que aparentemente são mais difíceis a você para ver se elas revelam e ajudam a superar dificuldades suas.
    Abraço fraterno,
    Pedro

  • Sonia Castro Madureira:

    Pedro, gratidão pelo lindo texto, pensei muito sobre o olhar, no julgamento e pensamentos que formamos através dele.
    Acredito q a palestra de hoje será muito esclarecedora. Até lá
    Muita Luz,
    Sonia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>