As Meditações da Pineal

Na visão de vida indiana a glândula pineal sempre teve uma importância fundamental para a saúde e para a espiritualidade. No ocidente, porém, é recente o reconhecimento de sua relevância. Até bem pouco tempo – até os anos sessenta – ela era considerada um órgão remanescente da história evolutiva humana, algo assim como o apêndice do intestino, que já teria tido uma função orgânica em outros tempos e que resistia no corpo apenas por inércia.

Em 1953 o Dr Aaron Lerner, um dermatologista norte-americano interessado em novas possibilidades de cura do vitiligo teve a intuição de pesquisar se haveria algum hormônio envolvido no processo de descoloração de pele ocorrido na doença. Ele saiu em procura de literatura científica acerca do assunto e descobriu um artigo de 1917 que falava de uma experiência onde glândulas pineais de bois haviam sido trituradas e lançadas em um tanque cheio de girinos. Relatava o artigo que, após meia-hora, a pele dos girinos havia se tornado transparente, possibilitando enxergar seus corações e intestinos. O artigo não despertou maiores interesses na época e o assunto foi esquecido.

Dr Aaron sentiu haver ali uma pista do que buscava e dedicou seis anos de pesquisa árdua, junto a uma dedicada equipe, até identificar a estrutura molecular de um hormônio totalmente novo e desconhecido, o mais potente hormônio que ele conhecera até então. Dr Lerner batizou o hormônio de ‘melatonina”, uma junção de “mela” e “tonina”, em referência à melanina – uma vez que o hormônio clareava as células que produzem o pigmento melanina – e à serotonina, o neurotransmissor precursor da melatonina.

Nos anos seguintes, Lerner e outros cientistas passaram a investigar o alcance dessa descoberta e, dentre esses novos pesquisadores, destacou-se o Dr Russel Reiter, que dedicou as últimas cinco décadas investigando as funções e aplicações possíveis desse hormônio.

As experiências em laboratório se mostraram cheias de surpresas para os cientistas que, aos poucos, foram identificando o novo hormônio como um versátil e poderoso antioxidante. Descobriu-se nele o dobro da capacidade de combater radicais livres do que possuía a vitamina E, o mais poderoso anti-oxidante até então conhecido. A melatonina trazia entre seus benefícios desde a diminuição de risco de doenças cardíacas e certos tipos de câncer até o abrandamento da incidência de catarata.

Foram feitas experiências com ratos contaminados com câncer e HIV e os resultados foram sempre animadores. Em uma dessas experiências, ratos que receberam doses extras de melatonina foram induzidos a diferentes tipos de câncer. Enquanto ratos que não haviam recebido a dose extra desenvolviam a doença, os que haviam recebido a dose, não desenvolviam. O mesmo foi feito com o vírus da AIDS. Primeiro inoculou-se o vírus em dois grupos de ratos, um alimentado com fortes cargas de melatonina e outro com placebo. Nos ratos que receberam a melatonina, o vírus não se tornou ativo, enquanto nos outros o virus teve a progressão natural da doença. Em seguida, se inverteu a experiência, inoculando antes o vírus HIV em ambos os grupos e, depois dele se tornar positivo, foi dada uma dose extra diária de melatonina à metade dos ratos. Os que tomaram melatonina, praticamente não foram vitimas de doenças oportunistas, as mesmas que vitimaram a maioria dos ratos do outro grupo. Todas essas experiências e muitas outras estão registradas no livro do Dr Reiter, “Melatonina”.

Mas os efeitos positivos da melatonina não paravam por aí. Aos poucos foi-se descobrindo que ela desencadeia e regula o ciclo natural do sono, combatendo a insônia, a ansiedade e a depressão. Além de ser ela a responsável pelo alongamento do período mais restaurador do sono. Notou-se que quando os níveis de melatonina atingem seu ponto máximo durante o sono, ocorre uma significativa diminuição do cortisol no sangue – o hormônio do estresse. Isso significa que, sob essas doses, o estresse perde sua capacidade destrutiva das células comuns e das neurais.

A equipe do Dr Reiter chegou à conclusão de que a melatonina é o mais importante hormônio para quem deseja usufruir de uma longevidade saudável, uma vez que os ratos alimentados com a dose extra do hormônio viveram até 20% mais de tempo e em condições mais saudáveis do que os que foram privados da dose. Mais tarde, experiências com voluntários humanos, confirmaram que a melatonina realmente tem o potencial de prolongar, de maneira outrora inimaginável, os anos de vida saudável e produtiva do homem, adiando a instauração de doenças como artrite, diabetes, câncer, Alzheimer e Parkinson e propiciando uma capacidade cognitiva e uma memória afiada na idade avançada.

Talvez, a maior contribuição que se possa dar para amenizar ou em alguns casos até reverter o quadro de envelhecimento vertiginoso a que estamos destinados, seja o aumento da quantidade de melatonina no sangue. O problema é que a partir da puberdade, a glândula pineal começa a diminuir a produção de melatonina de maneira significativa. É preciso que alguma coisa a mais seja feita para que esse processo seja revertido.

Há duas maneiras conhecidas de aumentar a concentração desse hormônio no sangue a níveis desejados para quem deseja melhorar seu desempenho físico e intelectual com o passar dos anos. Pode-se tomar o hormônio sintetizado em pílulas ou reeducar a pineal para otimizar o seu funcionamento. Podemos fazer um deles ou ambos. A diferença entre os dois pode ser comparada com a diferença entre tomar leite materno ou de vaca quando se é bebê. Os dois são ricos em cálcio e outros nutrientes necessários ao desenvolvimento do bebê, mas um deles é feito sob medida e encontra rejeição quase nula no recém-nascido. O quanto pudermos regenerar nossa glândula e aprimorar seu funcionamento através das milenares meditações da pineal, certamente será melhor.

Como dissemos no início do artigo, para a medicina clássica indiana, a pineal sempre foi considerada importante. Ela é ligada a um chakra essencial para o desenvolvimento da visão espiritual e da meditação. Isso inspirou a cuidadosa criação e elaboração de muitas meditações e diferentes técnicas de ativação da glândula nos últimos milênios. Essas técnicas foram reunidas e sistematizadas para serem usadas no curso “Memória e Rejuvenescimento Celular através da Meditação”. São uma parte importante do processo de regeneração celular, desenvolvimento e preservação da memória a que o curso se propõe a facilitar.

Pedro Tornaghi

.

.

Participe do curso

“Memória e Rejuvenescimento Celular através da Meditação”:

http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=82

.

Leia também

“Os Cinco Pilares da Memória”:

http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=1159

.

26 comentários em “As Meditações da Pineal

  1. Sempre que possível leio os artigos que você os publica com tanto primor, e gosto muito! Que os Mestres de Luz te iluminem cada vez mais, para que você continue realizando o seu lindo trabalho orientado pelo amor e pela sabedoria divina… Que Deus te cubra de luz. Carinhosamente, Vanda Lopes

  2. Quero obter informações sobre o curso “Memória e Rejuvenescimento Celular através da meditação”.
    Aguardo,
    Inez

  3. Olá, Pedro!

    Obrigada pelos belíssimos textos que compartilha conosco!
    Estou interessada no curso de ”Memória e Rejuivenescimento Celular Através da Meditação”.
    Obrigada. Namastê!
    Dalva.

  4. Meu interesse e pelo horario de 16.00 às 18.00 hrs. Gostaria de participar da palestra do dia 26/3.
    Grata

    Patricia

  5. As glândulas pineal e hipófise foram de muito interesse quando comecei com Meditação Transcendental e a estudar Astrologia, nos anos 70. Hoje reascende o interesse e leio seu artigo. Quero me aproximar do seu trabalho assim que possível. Favor mandar informações. Abraço, José Gurgel

  6. Olá José,

    Fico feliz com o seu interesse nas relações entre a pineal e a hipófise com a meditação, esse é um terreno mesmo muito fértil. Fico feliz também pelo seu desejo de se aproximar do trabalho; publico abaixo o link de dois trabalhos que começaremos em abril, um mais diretamente ligado às meditações da Pineal e Hipófise que é o “Memória e Rejuvenescimento Celular através da Meditação”, e outro, “Meditação Através dos Chakras e da Respiração”, que envolve os sete chakras em um workshop de um fim de semana para cada chakra, com as meditações correspondentes à glandula daquele chakra em particular.

    Um grande abraço,

    Pedro

    Meditações da pineal e hipófise: http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=82
    Todas as glândulas: http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=68

    O ligado à pineal e à hipófise terá uma palestra demonstração dia 26 de março.

  7. A Glândula Pineal é a ponte de ligação entre o ser e o universo. podemos simplificar e dizer que é a porta ou o canal de ligação entre o que se encontra acima da cabeça do ser humano e o que esta abaixo dos seus pés.ainda temos um trabalho a fazer:é fazer a energia do que esta acima e do que esta abaixo circularem pelo nosso corpo, assim a missão estará completa!!! boa sorte, boa meditação. e muito importante, não é na glândula que devemos nos ater para esta alquimia é na barriga abaixo do umbigo e para o centro do corpo. bem , depois existem mais segredinhos, mas estes aqui são bem importantes e úteis. Aprendizado Taoísta !

  8. Olá! Só faltou falar onde comprar a melatonina… Procurei em farmacias e não vende… Achei na internet mesmo! Comprei a melatonina em loja de suplementos, só encontra nesses sites. O que percebi até agora foi que durmo mais rapidamente, estou achando ótimo, o que já é o suficiente pra mim.
    Abraço!

  9. Caro Pedro,
    adoraria aprender a meditação que estimula a pineal com você! Para meu infortúnio, estou duplamente impossibilitada: além de cadeirante, moro em Santana do Deserto, MG. Não seria possível difundir esse ensinamento, ou parte que seja, através de um texto? Um livro ou mesmo uma apostila colocados à venda? Agradeceria muito e gostaria de ser informada se essa hipótese se tornar viável. muito obrigada

    Olá Maria do Carmo,

    Obrigado pelo interesse nas Meditações da Pineal, ando pensando em como colocar essas meditações em papel, ainda não sei se será possível, uma vez que exigirá adaptações, mas usarei sua mensagem como estímulo na busca de soluções para isso.

    Um grande abraço,

    Pedro

  10. O fato de haver um objetivo anula a possibilidade de autopercepção da verdadeira realidade: vazia e sem qualquer objetivo. A plenitude nada deseja: é plena em si mesma. Mas quanto mais nos lembrarmos de entrar em sintonia com a verdadeira realidade, vazia e sem necessidade de busca de realização de qualquer desejo, iremos nos manter relaxados e sem nos prejudicar com tensões: uma consequência da meditação. Mas nunca poderá haver um objetivo, pois esse impede que a verdadeira meditação aconteça.

  11. Olá Pedro,
    Tenho muito interesse nestas meditações, mas moro em Florianópolis. Quando vais lançar um livro com estas meditações? Existe a possibilidade de vires para cá para dar o curso aqui em Floripa? Que Deus te abençoe sempre. Namastê!!!! _/\_

    Olá Chaya,
    Obrigado pelo carinho com o trabalho. Espero, sim, um dia poder passar as meditações para um livro. Não tenho nada programado para Floripa no momento, mas se surgir convite estudarei, claro, com carinho.
    Namastê! _/\_

  12. Gostei muito dessa dica de meditação, quero saber quando será o curso.

    Olá Maria do Socorro,

    Fico feliz por sua identificação com as meditações da Pineal. O curso começará no próximo dia 13 de setembro, você encontra os detalhes neste link: http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=107 . Qualquer dúvida ou necessidade de informação a mais, estaremos à disposição.

    Um abraço fraterno,

    Pedro Tornaghi

  13. Olá! Não moro no Rio, mas gostaria de participar desse curso. Tem algum nesse ano? Obrigada e uma ótima semana!

    Olá Ana Maria,

    O curso começará no próximo dia 6 de abril, com uma aula-demonstração e será sempre às segundas-feiras em dois horários, uma turma às 16:00h e outra às 20:00h. Você encontra mais detalhes na página do curso nesse link: http://pedrotornaghi.com.br/blogger/?page_id=82

    Abraço fraterno,

    Pedro

  14. Gostei muito dessa matéria. Gostaria de saber um pouco mais sobre essa glândula, pois tenho um cisto na pineal de mais ou menos 1 cm. Gostaria de saber em que isso afeta a minha vida?
    Obrigada !

  15. Gostei muito dessa matéria, mas quero saber um pouco mais sobre essa glândula, pois tenho um cisto na pineal de mais ou menos 1 cm e gostaria de saber em que isso afeta a minha vida ?

    Obrigada!!

  16. Olá Pedro,muito interessante sua matéria,preciso ver mais,aprender muita coisa ainda,tenho interesse sim no seu curso, mas preciso ver os horários por que trabalho. Agradeço desde de já pelo o carinho.. A/C. Margarete Soares Leite

    Bom dia Margarete,
    As aulas ficarão disponíveis e você poderá assisti-las no horário que escolher.
    Atenciosamente e à disposição,
    Helena Fischer,
    Assistente do Pedro Tornaghi

  17. Oi Pedro, vc sabia que o flúor que se coloca na água e também nas pastas de dentes atrofiam a glândula pineal, calcificando-a . Tem artigos no Google.

  18. Achei mto interessante este assunto, gostaria sim de fazer o curso. Vc pode passar informações sobre o curso?
    Elisa

    Olá Elisa, as informações foram enviadas para o seu e-mail
    Atenciosamente,
    Helena Fischer
    Assistente do Pedro Tornaghi

Deixe uma resposta